segunda-feira, 27 de abril de 2015

Comunhão é um Rio

Comunhão é o Rio de Deus que se derrama em mim, transborda na vida dos que estão ao meu redor, trazendo cura e transformando toda uma geração.

Hoje o Senhor me inspirou a escrever e a pensar sobre essa comparação de comunhão e um rio. A imagem de rio na palavra de Deus está diretamente ligada a bênção da presença de Deus, que nos lava os pecados e refrigera nossa alma. Rio é vida, prosperidade, fertilidade. A palavra diz em Salmos 133 que onde há comunhão ali o Senhor ordena a sua bênção e vida pra sempre. Existe uma ligação forte ente rio e comunhão (veja Atos 2).

Creio que um dos entraves quanto viver em comunhão é porque queremos começar no âmbito de “pessoas para pessoas” e não no nosso caminhar com Deus. Nos reunimos nas igrejas, nos grupos esperando receber de Deus, mas com expectativas nos homens. Queremos receber das pessoas o que só o Senhor pode nos dar. E acabamos derramando ressentimentos, frustrações, inveja e maldade uns sobre os outros. Só derramamos aquilo que está dentro de nós. Como derramar amor se não (re)abastecemos na fonte de todo amor, que é a presença de Deus. Se de fato queremos viver em comunhão é necessário começar nossa jornada na nascente desse rio, que é na comunhão com o Senhor. É interessante que o Apostolo João (em 1 João 1:6-7) põe a comunhão com Jesus como uma condição para comunhão com os irmãos.

Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. 1 João 1:6-7

Comunhão com Ele → Andar na luz → manteremos comunhão uns com os outros.

O problema é que queremos fazer o caminho contrário a lógica de 1 João 1. Mate a nascente e o rio morrerá. Muitos dos nossos relacionamentos estão morrendo porque a nascente do rio está obstruída. Em Ezequiel 47 existe uma comparação entre rio e os níveis na presença de Deus. À medida que o profeta avança em direção da profundidade em Deus, é conduzido, ao mesmo tempo, a contemplar as árvores que dão alimento e remédio. Ao retornar de nossa jornada com Deus colheremos os frutos da árvore da vida, para alimentar e curar nossos relacionamentos. Viveremos um tempo abundante em bênçãos ao nosso redor. “Por onde esse rio passa, a vida é abundante.” (Ez 47.9 – A Mensagem).


Viver em comunhão só é possível se eu for capaz de derramar a vida de Deus na vida de outras pessoas. Precisamos primeiramente de Deus pra tudo, absolutamente tudo que desejamos viver, inclusiva pra ter comunhão. Comunhão começa em Deus que é a fonte de tudo que existe de bom, de tudo que precisamos tanto dar e receber. Ele é a nascente do rio, o que nos une num mesmo fluir, num mesmo propósito. Que possamos viver a comunhão ensinada pela palavra de Deus, sem qualquer falsidade, frutificada pela presença de Deus em cada um dos nossos corações.

Que o Senhor nos abençoe.