quinta-feira, 29 de agosto de 2013

SONHO DO GRANDE ÔNIBUS


Sonhei que estava num grande ônibus com bastante gente, o trajeto dele era uma região muito pobre da cidade, uma região perigosa e era noite. A rua era como uma favela, com casas de taipa, a pista cheia de buracos, com muito entulho e lama, e era um caminho tão estreito que era a conta certa pro ônibus passar. 

Houve um certo momento da viagem em que o ônibus chegou a um grande batente, era muito alto, neste momento, eu e os demais passageiros pensávamos que iríamos ficar empacados. Mas o motorista, que estava vestido de palhaço, era um homem alegre e ficava orando o tempo todo, era uma oração simples mas que contagiava a todos nós. Ele agradecia a Deus, parecia, tipo aqueles “velhinhos de oração” nas igrejas pentecostais. Eu e meu irmão estávamos também com roupas de palhaços, semelhantes a do motorista.

Diante desse batente o ônibus parecia estar parado, o motorista forçava o motor do ônibus e orava, e o veículo ia pra frente, batia no batente e voltava. Isso se repetiu algumas vezes, mas o motorista continuou a orar e a louvar a Deus, ele ria e passava pra mim que tinha a certeza do controle da situação, embora eu pensasse comigo: isso nunca vai dar certo. Eu e outros passageiros abrimos as janelas do ônibus e tentávamos empurrar o ônibus contra as fachadas das casas, numa tentativa de deixa-lo mais fino e facilitar a passagem, mas sem sucesso algum. Mas o palhaço motorista, continuava fazendo as mesmas coisas , orava e forçava o motor. 

Então ele começou a cantar uma canção, não lembro qual, mas sei que o ônibus foi contagiando, não pela canção, mas pelo jeito que o motorista cantava, então todos nós começamos a cantar com ele, o ônibus parecia com aqueles melhores momentos de louvor que temos na igreja. Então num certo momento o grande batente ruiu, como uma areia movediça, e se tornou uma rampa bem íngreme e o ônibus começou a subir, continuando seu trajeto. 

Estávamos tão alegres por prosseguir. Então o motorista falou e todos calamos pra ouvir. Ele disse: Quem poderia ajudar a matar a minha fome, alguém tem uma sexta básica, ou algo que pudesse saciar a minha fome, minha e de minha família? Como aqueles pedintes que encontramos nos ônibus de nossas cidades. Diante disso todos os passageiros ficaram tão indiferentes, se faziam de surdos. Aquilo me comoveu, e eu pensei: porque não trouxe uma maçã pra ele, mas eu também estava indiferente, mas um pouquinho comovido por ele. Ao ver que estava sendo ignorado, ele muito sereno, nos olhou com olhos de compaixão se assentou e continuou a dirigir, só que dessa fez calado, ele não estava irado nem triste, apenas calado, como se quisesse nos ensinar algo com toda aquela situação.

Daí eu olhei pra trás, e um outro palhaço, que estava escondido no fundo do ônibus, deu um pulo pro meio do ônibus e gritou: Alguém tem a comida do motorista pra me dar? Esse outro palhaço era um homem sagaz, interesseiro, a pintura de sua boca era preta, ele inspirava medo. O meu irmão quando o viu, se escondeu na poltrona do ônibus, mas eu permanecia de pé olhando pra ele, embora indignado com o fato desse outro palhaço ficar pedindo as pessoas o que era de direito do motorista, pois foi ele que fez todo o trabalho pra nos levar ao nosso destino, mas não fiz nem falei nada. O outro palhaço queria ser como o motorista, e ficava zombando dele, e a maioria dos passageiros riam de suas palhaçadas, mas a viagem seguia. Então amanheceu e os raios de sol entraram pelas janelas de forma bem forte, então despertei do sonho.

Eu acordei ás 3:30 com a interpretação bem clara na minha cabeça. Creio que seja uma mensagem de Deus para nós. 

O ônibus é a igreja, o caminho estreito é o nosso chamado, o “Palhaço Motorista” é Jesus (palhaço porque nós cristãos temos sido escárnio aos olhos do mundo, verdadeiros cristão são dito como loucos pela sociedade, também representa minhas lembranças da infância: pureza e alegria), o “outro palhaço” é o diabo (o zombador escondido e imitando a Jesus).

O batente representa as dificuldades que vamos enfrentar, obstáculos que parecem colocar fim na nossa viagem, mas não temos que vencer na nossa força, pois temos a oração e o louvor para transformar o batente em rampa pra subir mais alto. Não são as músicas, mas a forma com que louvamos que fará a diferença e moverá o impossível a nosso favor. Louvemos como Jesus.

Jesus sempre nos pedirá, como igreja, a saciar sua fome de justiça social (Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; Mateus 25:42) embora muitos o ignorem e outros apenas se comovem (como eu, pensando em dar-lhe apenas uma pequena maçã). 

Minhas vestes é a do meu irmão serem de palhaços também é pra mostrar que somos, no reino do espírito, vestidos com as mesmas vestes de Jesus, temos sua autoridade (Mateus 28:18-20). O diabo sempre estará escondido esperando roubar aquilo que é de Deus em nossa vida. Tentando nos intimidar (meu irmão se escondendo na poltrona, se esquecendo de que suas vestes são iguais a do motorista) ou nos deixar sem ação (como eu perdido na minha indignação e sem me pronunciar e agir contra as suas más ações). 

Escrevo isso pra nossa edificação em Cristo, pra que possamos despertar, estar atentos ao que o Senhor deseja fazer em nós e através de nós. Não vamos desistir, a igreja precisa subir, chegar ao grande dia, ao seu destino final. Temos um papel fundamental, e o Senhor nos chama a usar as armas do louvor e da oração. Que Deus os abençoe.

sábado, 20 de abril de 2013

ABRO A PORTA (Experiência e canção)

Quero compartilhar com vocês a experiência de composição de uma canção que o Senhor me deu nessas duas semanas.
Há algum tempo o Senhor tem colocado em mim um propósito de organizar junto a equipe de louvor da igreja um encontro de adoração, um momento de buscar mais intimidade com Deus e também orar pelo aviamento em nosso estado. Então decidi que faríamos esse momento mensalmente a partir desse mês (abril 2013), o evento foi marcado para o dia 27 e daí comecei a perguntar ao Pai qual seria o primeiro tema a ser trabalhado com a igreja. 

Alguns dias depois eu estava num culto e enquanto nosso Pastor André pregava, Deus me mostrou uma encenação: uma porta dividindo a igreja, e duas pessoas, uma de cada lado, uma representando Deus e a outra representando a igreja. O que representava a igreja ficava olhando pelo buraco da fechadura, tentando ver como era Deus, mas sem conseguir ver muito por causa da limitação daquela porta fechada. Daí num certo momento, Deus vinha e abria a porta, e os dois se abraçavam. Ao passo que essas imagens passavam em minha cabeça, entendi o que o Senhor me mandava falar sobre adoração como porta de entrada para a presença de Deus. 

Nossa adoração é o reflexo da nossa perspectiva de Deus e nossa perspectiva sobre Deus reflete a intensidade da nossa adoração. Nossa contemplação (adoração) do Senhor tem se perdido com o passar dos anos, parece que a igreja tem se esquecido de prosseguir em conhecer ao Senhor (Oséias 6.6). Falta profundidade e até parece que estamos acostumados a olhar pela buraco da fechadura do que pagar o preço (que já foi pago) de abrir a porta. A porta fechada representa  aquilo que separa dois ambientes, assim como os nossos pecados e limitações nos separam de Deus, mas Cristo veio e quebrou o poder que que nos separa da presença de Deus Pai. Em Mateus 27.51 a palavra diz que a porta que separava (representada pelo véu do templo) foi escancarada por conta do sacrifício do Senhor. 

E em Hebreus 10 deixa claro que podemos entrar em sua Santa Presença com reverência, mas sem medo, confiantes no sangue de Cristo. O Senhor ainda está tomando a iniciativa de abrir a porta, em Isaías 55.6 diz: "Buscai ao Senhor enquanto se pode acha-lo, invocai-o enquanto está perto." Em apocalipse 3.20, Cristo está a bater na porta do coração de sua igreja e esperando para cear com ela. Em Mateus 6.6, Jesus nos ensinou a entrar no nosso quarto e fechar a porta e estar com Ele através da oração (adoração).

Pensado nessas coisas surgiu uma inspiração para escrever uma canção tema para esse culto , com o objetivo de gravar essas verdades da palavra em nossos lábios e coração.  Espero que ela seja uma benção em sua vida. 

ABRO A PORTA
Letra e Música: Carlos Santos Junior
Referências bíblicas: 
Hb 10:19-25, Ap 3:20-22, Hb 4:14-16


VERSO:
Pelo novo e vivo caminho
Posso em tua presença chegar
Pelo preço do teu próprio sangue
Posso então tua face buscar
Eu abro a porta do meu coração
Eu abro a porta do meu coração


REFRÃO:
Me achego a Ti, sem nada esconder
Em Tua presença sou restaurado
E nada é melhor do que estar aqui
Encontro minha vida e prazer só em Ti
Em Tua Presença


PONTE
Ouço a voz do Meu Amado
O Som do seu chamar ecoa em mim
Me convidando a estar em sua presença e ali habitar
Eu ouço as batidas do seu coração
Batendo na porta do meu coração
E eu abro a porta do meu coração

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Na luz da tua face (I ditt ansiktes ljus)

Gente, tô aqui compartilhando uma versão que escrevi da canção suéca "I ditt ansiktes ljus" composta por Joakim Strandberg. Essa canção fala profundamente ao meu coração sobre a responsabilidade e do prazer de estar face a face com o Senhor. De receber a luz que emana de sua presença e transforma o nosso viver de glória em glória. Que Deus te abençoe e que você também escolha estar na luz da face do Senhor.

Título original: I ditt ansiktes ljus.
Letra e música: Joakim Strandberg © 2003 Vineyard Songs (Nordic) Para fins de ensaios do Ministério da Louvor & Adoração da Igreja Batista Independente Shekinah - Maceió / AL. 2013