segunda-feira, 15 de outubro de 2012

ADORAÇÃO: A CONEXÃO DE CORAÇÕES




 ADORAÇÃO: 

A CONEXÃO DE CORAÇÕES

 

ADORAÇÃO NÃO É MÚSICA

Quando pensamos em louvor e adoração, o que logo vem à nossa mente é o momento de cânticos que temos em nossas igrejas. Louvor e adoração tem sido erroneamente associados somente a música, mas a palavra de Deus ensina que se dão de várias formas, e não somente através da música ou das artes. A bíblia define adoração como atribuir honra suprema ou veneração dado em pensamento ou em ação para uma pessoa ou coisa. A adoração bíblica envolve intelecto, emoção e vontade. Adoração não é quando os instrumentos e vozes estão em harmonia, mas quando o nosso coração humano se harmoniza com o coração divino, por isso, creio que adoração é uma conexão de corações. Essa conexão pode acontecer a qualquer momento e de formas que vão além do que eu poderia descrever com palavras. De alguma forma dois corações se tornam um, sentindo os mesmos sentimentos, pulsando as mesmas batidas, se doando e recebendo ao mesmo tempo. Isso só é possível porque existe uma ponte que os conecta: o amor de Deus revelado em Jesus Cristo ao mundo inteiro. O seu sangue, a sua morte e ressurreição é que nos dá esse acesso.
Gostaria de, através desse estudo,  falar sobre alguns aspectos dessa conexão, e oro para que você seja grandemente abençoado em nome de Jesus.


1°) ADORAMOS QUANDO O CONHECEMOS:

“Nossa adoração a Deus só será limitada pelo grau de conhecimento que temos dEle.
Não podemos ir além do que sabemos a Seu respeito.”
Marcos Witt


Conhecer a Deus é o primeiro aspecto sobre viver em adoração. Do diálogo de Jesus e a mulher samaritana em João 4:22-24, ele disse: “Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos [o que conhecemos] porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” 
Israel foi o povo escolhido por Deus para se relacionar com Ele, toda a revelação divina foi dada a eles, Israel foi a única nação liberta do Egito pelas mãos do Senhor, foi a única que atravessou o Mar Vermelho a pés enxutos, foi a única que recebeu a palavra de Deus, foi a única que através de inúmeras experiências pôde conhecer o caráter e o agir de Deus. Por isso Jesus afirmou: “nós adoramos o que sabemos [o que conhecemos]”. Como adorar e amar a quem não se conhece?  É impossível venerar alguém de que não se tem conhecimento. 

Um adorador é alguém quem vive constantemente a jornada de conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor (Ver Oseias 6.6). Aliás, fomos criados para nos relacionarmos com Deus, e é isso que consiste a vida eterna (João 17.3). Podemos ver em Gênesis 3.8 que Deus caminhava no jardim do Éden e entender que Ele e Adão viviam em constante relacionamento, Deus caminhava lado a lado com Adão até que o pecado fez Adão se afastar dele. Tenho percebido que a igreja não tem avançado em níveis de adoração mais profundos pelo simples fato de não conhecer a Deus mais intimamente. O conhecemos através da palavra (devocionais, estudo bíblicos, pregações) e de experiências vivas com Deus (respostas de oração, momentos louvor congregacional ou pessoal, momentos de intervenção divina em nossa vida, etc). 
Esse conhecimento não implica em decorar mil versículos, não vem apenas de ouvir falar Dele ou do conhecimento teórico teológico que possamos ter, mas de um conhecer de forma viva e prática,  a cada dia no nosso caminhar com Ele. Experienciar sua presença 24 horas por dia, em casa, na escola, no trabalho, sozinho, cercado por milhares, nos dias bons e maus. Jó era um homem temente a Deus, mas foi preciso que ele passasse toda aquela tribulação para que ele conhecesse a Deus face a face. Ele pôde conhecer a Deus através daquela situação difícil, mas essa experiência o fez experimentar a presença do Senhor de uma forma ímpar em sua vida. Sua presença é real e está disponível a todo coração que deseje estar com Ele.


2°) ADORAMOS QUANDO O AMAMOS:

É muito comum escutar em canções a expressão “Senhor, eu te amo”, mas será que sabemos o seu real significado? Será que sabemos no que o verdadeiro amor consiste?  Em 1Co 13:4-7 o apóstolo Paulo nos esclarece sobre o real sentido de amar. O amor é uma atitude, uma escolha é mais que simplesmente um sentimento.

“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”  - 1 Coríntios 13:4-7

Amar é adorar e adorar é amar! Adoramos e amamos a Deus sendo pacientes (esperando Nele e por Ele), sendo bondosos (agindo ativamente demostrando amor), não tendo inveja, vanglória ou orgulho (não querer a glória para si ou justificação por próprios méritos), não se irando ou guardando rancor (aceitando os desígnios de Deus com gratidão e alegria de coração), não maltratando  (o tratar sem respeito e honra ou fora dos padrões de sua santidade), não procurando próprios interesses (buscar a Deus por bençãos materiais ou por “experiências espirituais” e não por simplesmente Ele mesmo). Quando escolhemos amar o Senhor cientes de todas essas atribuições do texto acima, adoração simplesmente acontece, sem precisar forçar, naturalmente brotará do nosso coração e fluirá como uma fonte em nossas vidas. Não pensaremos mais que adoração é um “estilo de vida” mas ela será a nossa própria vida, a essência dela. “Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.” Atos 17.28


3°) ADORAMOS QUANDO O EXPRESSAMOS A NOSSA DEVOÇÃO:

Conhecer e amar falam sobre a parte da adoração que acontece dentro de nós, mas ela só será completa se adicionarmos a parte que acontece no nosso exterior: a expressão de nossa devoção.
O bíblia está recheada de exemplos de expressões de adoração, o ser humano sempre busca expressar seus sentimentos de alguma forma, e isso se aplica ao sentimento de busca que o próprio Deus colocou no centro do coração humano. Vejamos algumas formas de expressar nossa adoração encontradas na palavra de Deus:

a) Adorar com sacrifícios (Gênesis 22.1-5)
b) Adorar com gratidão (Êxodo 4.27-31)
c) Adorar com entendimento (2 Samuel 12.18-20)
d) Adorar em meio aos problemas (2 Crônicas 20.18)
e) Adorar com presentes (Mateus 2.2,11)
f) Adorar com palavras (Mateus 14.22-33)
g) Adorar confessando a Jesus (João 9.35-38)
h) Adorar com canto (Salmos 100.2 e Efésios 5.19)
i) Adorar com obediência (João 14.15 e 1 Samuel 15.22)

CONCLUSÃO: 

Espero que através dessas palavras tenhamos (re)pensado um pouco mais sobre o maior e mais importante relacionamento de todos: a adoração. Que é essa conexão nossa com o coração de Deus. A minha vida tem sido radicalmente transformada a medida que aprendo mais sobre essa conexão.  E essa troca de amor que podemos experimentar com o Senhor, nos faz mais parecidos com Jesus para que sejamos agentes de transformação em nossa geração pois é chegada a hora, esse é o tempo da revolução dos verdadeiros adoradores, não uma revolução que nasce nos idealismos terrenos,  mas uma revolução que nasce na conexão dos corações  pecadores com o coração de Deus.


Que Deus o abençoe grandemente
Carlos Santos Junior (www.blogcarlossantos.blogspot.com.br)