quarta-feira, 28 de abril de 2010

Reconstruindo o Templo

Escrito por Carlos Santos
Em Esdras 3 vemos o povo de Deus voltando do cativeiro babilônico para reconstruir o templo de Deus como Ele mesmo havia prometido (Ver Jr 29.10). Vamos aprender coisas maravilhosas aqui:

Adoração vence o medo.

No capítulo 3 verso 3 encontramos um maravilhoso testemunho: “Mesmo tendo medo da gente daquela região, eles construíram de novo um altar. Imagine a situação do povo voltando a Jerusalém depois de tantos anos, vendo sua terra dominada por outras pessoas e espiritualmente arrasada. Eles precisariam de muita coragem para desafiar a fé dessas outras culturas e proclamar o nome do Senhor naquela situação.

Para quebrar as barreiras do medo somente com a arma mais eficaz: Nossa confiança no amor de Deus por nós e nosso amor por Ele, que é nossa ADORAÇÃO. Adorar é amar a Deus mais do que a nossa própria vida e é essa devoção que nos faz vencer o medo, aliás, nos faz MAIS QUE VENCEDORES

Reconstruir sempre nos custará algo

No verso 7 vemos o povo ofertando para pagar a reconstrução. Reconstruir o nosso altar espiritual sempre nos custará algo: nosso tempo, nossa motivação, nossas forças. Reconstruir algo é sempre mais difícil do que construir algo novo, isso porque trás à tona frustrações geradas pelas tentativas passadas, colocando diante de nós a necessidade de se pagar maior valor. Adoro quando o Rei Davi diz: “Não darei ao Senhor coisas que são de vocês, coisas que não me custaram nada.” (1 Cr 21.24). Invista alto na reconstrução do seu templo de adoração ao Senhor.

Reconstruir nosso templo traz alegria e quebrantamento

No versículo 12 o povo de Deus estava alegre por ver os alicerces do templo sendo construídos. Os anciãos, que tinham visto o templo original, choravam e outros gritavam de alegria. A obra maravilhosa do Senhor em nossas vidas, nos deixa tão maravilhados que não sabemos se devemos rir ou chorar!

Acredito que o choro, aqui significa arrependimento diante do Senhor. Choramos envergonhados do nosso pecado e também choramos de alegria ao ver o imenso perdão que Deus dá. Os brados de júbilo significam a alegria de ter restaurada nossa comunhão com o Senhor.

Espero que essas palavras te abençoem e possamos buscar sempre a reconstrução do nosso relacionamento com Deus com risos e lágrimas, dando o nosso melhor e vencendo nossos temores pelo amor que sentimos por Ele

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Aprendendo com Esdras


Por Carlos Antônio Santos


Olá para todos os leitores do blog, hoje quero compartilhar algumas lições que encontrei no livro de Esdras. Este livro descreve a volta do povo a Jerusalém para a reconstrução do Templo. O Mestre da Lei Esdras ajuda o povo a reorganizar a sua vida religiosa e social a fim de que as tradições espirituais de Israel fossem conservadas.

Esdras 7.10a - “Esdras havia dedicado a sua vida a estudar e a praticar a Lei do Senhor...”

Dedicar-se a estudar e a praticar a palavra não era uma tarefa fácil na época de Esdras, pois ele estava numa terra que não era sua, inserido em outra cultura. O verbo dedicar aqui é realmente muito bem usado. Só podemos nos dedicar a algo que realmente esteja em nosso coração.
Na bíblia, o Senhor nos fala sempre em guardar, meditar e praticar sua palavra (Salmos 1, Salmos 119, Deuteronômio 11.1, Tiago 1.22-25, entre outros). Mas se não nos dedicarmos (esforço, muito esforço, disciplina) nunca seremos fortes aos ataques do inimigo e nunca conheceremos o Senhor profundamente. Como Esdras orientaria o povo sem conhecer a lei? O estudo da palavra é a chave para qualquer coisa no reino de Deus, é a porta para entrar em sua presença.

Esdras 7.27-28 – “Sabendo que o Senhor estava comigo..”
Veja que nesses dois versículos, Esdras louva a Deus e reconhece que tudo que fez foi pela força do Senhor. Um grande homem de Deus sempre terá consciência de que é nada e de que tudo é por causa do poder de Deus que opera em nós. Podemos ser o canal, mas o agir é do Espírito Santo.
Esdras reconhece suas falhas e temores: “Deus me animou...”, quantas dificuldades teria passado até conduzir o povo em segurança a Jerusalém. Quanto mais o conhecemos reconhecemos nossas fraquezas e somos conscientes que Ele é a razão do nosso sucesso.

Esdras 8.23 – “Jejuamos e oramos ... e ele nos atendeu.”
Esdras não era apenas um homem conhecedor da palavra, ele era uma pessoa de oração. Não adianta ter apenas conhecimento da palavra e não ter uma prática de oração. Nesse capítulo o povo iria fazer uma viajem perigosa, mas a primeira iniciativa de Esdras foi jejuar e orar. Ele até conhecia a misericórdia de Deus e a profecia sobre a volta do povo, mas ele coloca seus planos na altar de Deus. Que possamos ser pessoas que conhecem o Senhor e são conhecidas por Ele.

Esdras 9.5 – “Quando ouvi isso, rasguei as minhas vestes em sinal de tristeza.”
Esdras era alguém cheio de compaixão pelo próximo. Ao ver que o povo estava vivendo fora da vontade do Senhor, sofrendo no pecado, ele se comoveu e sentiu a dor daquele povo. Será que a situação das pessoas que perecem sem Cristo, e sem salvação, causa algum sentimento em nosso coração?
Esdras se humilhou diante de Deus em favor de seu povo. Mas ele não ficou apenas no sentimento de compaixão, ele foi orar por eles (Esdras 9.5). Mas ele não ficou apenas na oração ele agiu para reverter aquela situação (Esdras 10.1,5). O mundo já está cansado de palavras bonitas apenas, ele espera ação social de mim e de você.

Que assim como Esdras possamos também ser instrumentos de transformação em nossa sociedade. Que sejamos conhecedores da palavra da verdade, conhecidos pelo Senhor, movidos por sua compaixão e entregando todo reconhecimento a Ele.
A Deus toda glória. Deus te abençoe.